05/06/2017

IP3 forma na Casa África 15 países da África Ocidental para financiar o seu Plano Regional de Infraestruturas

O programa pretende reforçar o plano de infraestruturas da CEDEAO

O programa pretende reforçar o plano de infraestruturas da CEDEAO

A Casa África recebe a partir de hoje e até à próxima sexta-feira um curso de formação com Parcerias Público-Privadas destinado a altos cargos de 14 governos de países da Comissão Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO), além de um representante da Mauritânia, responsáveis da própria CEDEAO e representantes de três empresas canárias do setor das infraestruturas, ministrado pela empresa norte-americana IP·3 (Institute for Public-Private Partnerships).

Mais de 25 pessoas irão participar nesta semana de formação, a primeira com professores da empresa norte-americana e que conta com o patrocínio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), do Governo das Canárias e da Casa África, que enquadra estas atividades nos Projetos CONFIAFRICA e INGENIA2, no âmbito do Programa INTERREG MAC 2014-2020 e cofinanciados pelo Fundo de Desenvolvimento Regional FEDER.

Este é o primeiro curso fruto do acordo assinado em novembro de 2015 entre a Casa África e IP3, com o objetivo de organizar nas Canárias este tipo de formação especializada em projetos público-privados, cursos que a IP3 só realiza em Washington (Estados Unidos). O principal objetivo deste acordo era abrir um caminho para tornar o Arquipélago, além de um hub de negócios e serviços, logístico e humanitário para o continente africano, também um hub no campo da formação.

IP3, pertencente à multinacional Tetra Tech, tem a sua sede em Pasadena (Califórnia), conta com uma faturação anual de 2700 milhões de dólares, 400 escritórios a nível mundial e emprega 16 000 pessoas. A empresa fornece apoio estratégico aos grandes projetos do Governo dos Estados Unidos em África, como o Centro de Estudos da NASA na África Ocidental ou o Plano Power Africa, para duplicar a produção de energia no continente.

A secretária-geral da Casa África, Arianne Hernández, e a diretora-geral de Promoção Económica do Governo das Canárias, Cristina Hernández, deram hoje as boas-vindas aos participantes, numa cerimónia de abertura que contou com a presença do diretor da IP3, Tomás Kiguel, do responsável pela formação, José Luis Guasch, e de Kebba Sulayman Faye, responsável da Unidade para a Preparação e Desenvolvimento de Projetos de Infraestruturas da CEDEAO (PPDU).

Durante esta semana, os altos cargos africanos receberão formação no desenvolvimento teórico e prático dos projetos PPP, uma prioridade fundamental para a atração de financiamento privado aos projetos públicos de infraestruturas que são criadas em África, e que se calcula que possam atingir um volume de 90 000 milhões de dólares por ano. Este programa, por exemplo, permitirá reforçar os projetos previstos pela CEDEAO no campo das infraestruturas, em matérias que vão desde os transportes (estradas, aeroportos, portos) até questões de energia e telecomunicações. O montante previsto para estes planos é, por enquanto, de 300 milhões de dólares anuais.

Na verdade, o perfil dos participantes deste curso é muito específico e abrange tanto chefes de gabinete de ministérios de Infraestruturas como diretores-gerais de estradas, de transportes ou engenheiros ligados aos ministérios do fomento ou obras públicas.

Participa um membro de cada um dos países da CEDEAO, com exceção da Serra Leoa, que dispensou a sua presença: Benim, Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal e Togo. Juntamente com eles, receberão também formação um representante da Mauritânia, diversos gestores da CEDEAO (dos departamentos de Energia, Infraestruturas, Desenvolvimento e Telecomunicações) e vários membros da equipa PPDU desta organização regional africana, especializada no fomento e desenvolvimento deste tipo de projetos. O curso integrará também gestores de três empresas canárias do setor das infraestruturas, a convite do Governo das Canárias, para conhecer os procedimentos para participar neste tipo de colaborações no continente africano.

O encerramento do curso contará com a presença do Diretor da Unidade para a Preparação e Desenvolvimento de Projetos de Infraestruturas da CEDEAO (PPDU), Sediko Douka, um representante da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), e o diretor-geral da Casa África, Luis Padrón.

A AECID tem apoiado a CEDEAO na criação da Unidade de Desenvolvimento de Projetos de Infraestruturas (PPDU) da Comissão da CEDEAO e a contribuir para a implementação do Plano de Desenvolvimento Regional de Infraestruturas desta organização formada por quinze países da África Ocidental. Em dezembro de 2010 foi aprovada uma contribuição de 5M €, atualmente em fase de execução. O Memorando de Entendimento, de fevereiro de 2014, decidiu direcionar o apoio espanhol para o financiamento do citado PPDU. De acordo com o referido memorando, em junho de 2015 foi aprovado o primeiro plano operacional anual com um orçamento de 1,5 M € e, atualmente, estão a ser realizados cinco estudos de viabilidade de infraestruturas fundamentais para o desenvolvimento regional. 

Por parte da Casa África, esta atividade enquadra-se no Projeto CONFIÁFRICA, que faz parte do Programa INTERREG MAC 2014-2020 e é cofinanciado pelo Fundo de Desenvolvimento Regional FEDER. Por parte da Direção-Geral de Promoção Económica, a inclusão de empresas canárias nesta atividade enquadra-se no projeto INGENIA 2, do mesmo programa INTERREG MAC 2014-2020.

 

Back

 
 
Registro de periodistas

Registro Periodistas


Recibe nuestros comunicados de prensa.

 
Newsletter

E-Newsletter


Recibe nuestro boletín electrónico semanal con las actividades y noticias de Casa África.

 

En nuestra agenda


 
 

Conoce África


conoce_africa Conoce a fondo este gran continente: sus países, organizaciones, sus más famosas personalidades...
 
Media

Mediateca


Accede a nuestro fondo documental de libros, películas y música.