Ama Ata Aidoo

Ama Ata Aidoo

Poeta, romancista, crítica e escritora de contos, a ganense Ama Ata Aidoo é considerada uma das grandes escritoras de África. O seu estilo inovador e a sua defesa da posição da mulher no continente africano marcam as suas obras.

Christina Ama Aidoo Saltpond nasceu em 1942 no Gana. A sua infância foi passada num ambiente de educação ocidental e forte sentido das tradições africanas. Foi a directora da sua escola, Wesley Girls High School, em Cope Coast, e assim comprou a sua primeira máquina de escrever. Depois de terminar a escola secundária, matriculou-se em Inglês na Universidade do Gana, em Legon, e foi aí que saiu o seu primeiro livro intitulado The Dilemma of a Ghost (“O Dilema de um Fantasma”, 1964).

 

Depois destes estudos, Aidoo conseguiu algumas bolsas de estudo, tais como a de escrita criativa na Universidade de Stanford (Califórnia), permitindo-lhe passar dois anos no estrangeiro, antes de regressar ao Gana em 1969 para leccionar a disciplina de Inglês na Universidade. De volta ao seu país natal, Aidoo trabalhou durante algum tempo como professora e por um breve período (1982) como Ministra da Educação. No entanto, uma vez que as suas opiniões eram consideradas demasiado radicais para o regime, foi forçada a renunciar e a abandonar o país. Desde então, viveu em Harare, Zimbabué e nos Estados Unidos.

 

Contudo, a sua habilidade para escrever não diminuiu. Muito pelo contrário: em 1987 foi galardoada com o Prémio Nelson Mandela de Poetry for Someone Talking to Sometime, e em 1992 com Commonwealth Writers' Prize for Africa com o seu livro Changes: A love story ("Mudanças: uma história de amor", 1991). Foi a primeira galardoada, em 1992, pela International PEN Women's Committee Travel Fellowship da UNESCO, para além de ser eleita Presidente da African Visions Literature Tour em 1998. Um ano depois, recebeu a maior honra civil do Gana: Companion of the Star of Volta.

 

Em todas as suas obras, o tema é centrado na mulher e no seu papel na sociedade. Para a escritora, a liberdade de África está directamente ligada à liberdade das suas mulheres, daí que muitos de seus personagens desafiem o papel do estereótipo da mulher. Prova disso é Anowa (1970), onde recria uma antiga lenda do Gana sobre uma mulher que quer casar-se contra a vontade dos seus pais. No entanto, a determinação da Anowa para tomar as suas próprias decisões terá consequências trágicas. Este tema é visto através de uma actividade literária, que inclui, entre outros, títulos atractivos como No Sweetness Here: A Collection of Short Stories ("Não há doçura aqui: uma colecção de  histórias curtas') (1970),  Birds and Other Poems (“Aves e outros poemas”) (1988) ou The Girl Who Can and Other Stories (1997).

 

Fontes: Wikipedia e www.kirjasto.sci.fi

 

Verifique a disponibilidade das publicações em Mediateca Casa África

 
Newsletter

E-Newsletter


Recibe nuestro boletín electrónico semanal con las actividades y noticias de Casa África.

 

En nuestra agenda


 
Media

Mediateca


Accede a nuestro fondo documental de libros, películas y música.

 
Quiénes somos

Quiénes somos


Conoce Casa África por dentro: misión y objetivos, organigrama, dónde estamos,...