Exposição: Mulheres que romperam o silêncio

Trabalhos de Concha Casajús que poderão ser visitados no âmbito do ESPAL 2019
Exposición: Mujeres que rompieron el silencio. Trabajos de Concha Casajús que podrán visitarse en el marco del ESPAL 2019

O Encontro de Solidariedade com os Povos de África e América Latina (ESPAL) organizado pela Câmara Municipal de Santa Lucía com a colaboração do Cabildo de Gran Canaria celebra este ano a sua edição número 29 sob o lema “Mulheres em luta”.

Cerca de trinta eventos entre exposições, concertos, conferências e atividades solidárias fazem parte do programa do Espal que se realiza de 22 de março a 21 de abril de 2019.

A Casa África colabora pelo segundo ano consecutivo com este importante encontro e fá-lo através da exposição fotográfica Mulheres que romperam o silêncio, um projeto que nasce da colaboração entre a fotógrafa espanhola Concha Casajús e a jornalista congolesa Caddy Adzuba, cujo apoio e proteção lhes permitiu desenvolver o seu projeto fotográfico sobre as mulheres da República Democrática do Congo (RDC), heroínas com quem Caddy trabalha diariamente.

O município grancanario de Santa Lucía recolhe agora o trabalho que esta fotógrafa realizou de forma independente na RDC, um país que acumula todo o tipo de riqueza (coltán, diamantes, ouro, petróleo, gás), mas onde grande parte da população vive em situação de pobreza e violência extrema, principalmente as mulheres.

Os conflitos pelo controlo do território nunca terminaram e as imagens que fazem parte desta exposição são o eco dos testemunhos das mulheres de Bukavu, na província de Kivu Sur, a Este da República Democrática do Congo. Elas conseguiram sobreviver à extrema violência que sofreram, levantando-se e seguindo em frente com uma força e coragem que merecem a nossa mais profunda admiração e respeito.

Esta exposição tem como objetivo reunir as histórias de mulheres valentes que conseguiram sobreviver e libertar-se do sofrimento, e que finalmente conseguiram seguir em frente com dignidade. 

Estas mulheres, que sobreviveram à violência sexual como arma de guerra, querem mostrar através desta exposição a sua determinação para enfrentar o sofrimento e dizer definitivamente NÃO à sua condição de vítimas. Uma verdadeira marcha até à vitória contra a violência sexual.

Outra das finalidades desta exposição é denunciar perante as Nações Unidas que a Convenção 1325 do Conselho de Segurança da ONU está muito longe de ser aplicada e que a proteção das mulheres continua a ser uma questão fulcral.

 

A exposição poderá ser visitada de 4 a 21 de abril de 2019. Para mais informações e para conhecer as restantes atividades do ESPAL 2019, consultar a página web da Câmara Municipal.

 
 
 
Compartir con:
 
 
Newsletter

E-Newsletter


Recibe nuestro boletín electrónico semanal con las actividades y noticias de Casa África.

 

Quién es Quién en África


 

  • Filter by:
 
of422

There are no results for this search
 

Efemérides


Premios de Casa África


Premios Griot de Ébano, Premios de Ensayo, Premios de cine...